Permanecer Fiel Até o Fim ao Guardar os Mandamentos

Como mencionado acima, fé, arrependimento, batismo e dom do Espírito Santo (“Os Primeiros Princípios e Ordenanças do Evangelho”) não são suficientes para garantir a salvação; depois destes passos iniciais é requerido um compromisso contínuo para o progresso pessoal. Este compromisso, que os mórmons chamam de “permanecer até o fim”, inclui tanto mudanças interiores quanto mudanças exteriores. Interiormente, temos que buscar mudar os nossos corações para alinhar a nossa vontade com a vontade de Deus. Essa mudança vem à medida que desenvolvemos fé em Jesus Cristo. Exteriormente, temos que fazer boas obras ao escolher guardar os mandamentos que Deus tem revelado através de Seus profetas e apóstolos antigos e modernos. Em vez de tentar achar uma religião que “melhor bate” com nosso estilo de vida ou “escolher” quais normas religiosas aceitaremos (religião a la cart), devemos ativamente buscar a vontade de Deus e fazê-la. Deus abençoa aqueles que permanecem fiéis até o fim ao esforçarem-se tanto a desenvolver sua fé em Cristo quanto a guardar os Seus mandamentos.


A ênfase Mórmon em guardar os mandamentos não deve ser mal-interpretada. Especificamente:

  • Mórmons não acreditam que a meta do homem deve ser “ganhar os benefícios de Deus” ao fazer a Sua vontade, nem temos uma atitude de “obrigar” Deus a nos salvar ou de “ganhar” a nossa própria salvação através de nossas boas obras, como alegam alguns; ao contrário, vemos Deus como um Pai bondoso e perfeitamente misericordioso que já nos ama além de nossa compreensão mortal e está ansioso para ver cada um de nós alcançar nosso maior potencial. Além de ser perfeitamente misericordioso Ele é também perfeitamente justo. A salvação vem tanto pela misericórdia perfeita quanto pela justiça perfeita.
    • Para satisfazer a lei da misericórdia, Jesus Cristo se ofereceu para pagar–ou expiar–por nossos pecados. Como pecadores, nenhum de nós é digno de voltar à presença de Deus. Jesus Cristo expiou as nossas fraquezas. Na Sua misericórdia infinita, Ele fez com que fosse possível para nós retornarmos à presença de Deus mesmo com nossas imperfeições, se nos arrependermos e tivermos fé nEle.
    • Para satisfazer a lei da justiça, no entanto, Deus não nos livra de nossa responsabilidade pessoal. Como um Deus justo, o nosso Pai requer que façamos tudo que pudermos–mesmo sendo insuficiente–para alcançar o nosso real potencial. Deus não seria justo se permitisse que Seu filho pagasse por nossos pecados sem requerer que nós fizéssemos o nosso melhor para evitar o pecado em primeiro lugar.
  • Embora os mórmons acreditem que Deus abençoará aqueles que se esforçam para guardar os Seus mandamentos, estas bênçãos nem sempre vêm nessa vida, e quando de fato vêm geralmente são espirituais em vez de materiais. Conheço muitos membros fiéis da igreja que têm vidas difíceis. A sua dedicação em guardar os mandamentos de Deus nem sempre faz leves os seus fardos físicos, mas esta dedicação dá sim a força espiritual para agüentar as dificuldades desta vida e a esperança de uma recompensa eterna na vida vindoura.

Com esse pano de fundo, exploraremos alguns dos mandamentos que Deus tem revelado através de Seus profetas e apóstolos antigos e modernos.

A Palavra de Sabedoria

Uma breve explicação da Palavra de Sabedoria
Na primeira metade do século XIX, muitos mórmons mastigavam tabaco, inclusive o profeta Joseph Smith. Emma Smith, a esposa de Joseph, reparou que palestras sobre Cristo e Seu evangelho eram freqüentemente interrompidas quando os membros da igreja paravam para cuspir tabaco no chão. Ela questionou a prática –especialmente porque era ela que limpava– e então sugeriu que Joseph pedisse mais instruções a Deus. O que seguiu foi uma revelação chamada pelos Mórmons de “a Palavra de Sabedoria”. ()

Embora inicialmente dada por Deus como apenas um conselho–talvez para dar aos membros da igreja tempo para vencer vícios difíceis–Deus depois fez com que a Palavra de Sabedoria se tornasse um mandamento e a aumentou quando necessário. A Palavra de Sabedoria diz que membros da igreja devem evitar substâncias viciadoras. Especificamente, menciona:

  • Tabaco, inclusive cigarros e tabaco de mastigar.
  • “Bebidas fortes”, significando bebidas com álcool.
  • “Bebidas quentes”, significando café e chá preto.
  • Carne em excesso.
  • Drogas.

Além disso, a Palavra de Sabedoria também incentiva os membros da igreja a comer ervas, frutas e grãos.

Deus promete bênçãos físicas e espirituais aos que seguem esta Palavra de Sabedoria. Embora não conhecidos pelos membros da igreja no século XIX, a ciência tem comprovado os benefícios físicos de muitos das recomendações da Palavra de Sabedoria. De fato, estudos epidemiológicos indicam que os Mórmons nos Estados Unidos vivem, na média, alguns anos mais do que seus compatriotas. A Palavra de Sabedoria também traz bênçãos espirituais; com a mente livre de vícios, a influência do Espírito Santo pode ser sentida com maior facilidade.

Jejum

O jejum, praticado desde os tempos do Velho Testamento, é voluntariamente deixar de comer e beber com o propósito de se aproximar mais de Deus. Embora os membros da igreja sejam livres para jejuar em qualquer momento em que precisem de força espiritual, o primeiro domingo de cada mês é designado como o “domingo de jejum”. Neste dia:

  • Membros da igreja se abstêm de duas refeições consecutivas, doando o dinheiro que teriam gastado na comida, ou mais se suas condições financeiras permitem, a programas da igreja que cuidam dos pobres. Esta contribuição aos pobres se chama “oferta de jejum”.
  • Jejum é acompanhado por oração na qual membros da igreja pedem força e/ou agradecem a Deus pelas bênçãos recebidas.
  • Neste primeiro domingo, os membros da igreja também têm a oportunidade de declarar a sua fé em frente da congregação local se assim quiserem, uma prática chamada “prestar testemunho”. ()
(Escrituras: Jejum)

Dízimo

O dízimo: uma explicação
Na primeira metade do século XIX, mórmons adotaram um sistema econômico comunal chamado de “a Ordem Unida”. Membros da igreja davam tudo que ganhavam à igreja e a igreja então redistribuía estes ganhos de acordo com as necessidades de cada membro. Alguns destes primeiros mórmons, no entanto, faltando a dedicação requerida, resistiam este sistema. Deus, reconhecendo que a igreja não estava preparada para esta lei maior, mandou que adotássemos o capitalismo. Em lugar da Ordem Unida, Deus estabeleceu os mandamentos gêmeos de dízimo, feito para cuidar das necessidades financeiras da igreja, e o programa de ofertas de jejum (descrito em cima), feito para cuidar das necessidades financeiras dos pobres. ()

Dízimo (10% daquilo que se ganha) é uma oferta financeira dada a Deus através da igreja. Como muitos dos mandamentos de Deus, a prática originou na época do Velho Testamento. O dízimo é usado para construir capelas e templos, para bancar o programa missionário da igreja e em geral para edificar e fortalecer o que mórmons consideram ser o reino de Deus na terra.


Uma característica distinta da igreja SUD é que o dízimo não é usado para pagar “o salário do pastor”. Com poucas exceções, membros do clérigo SUD não são remunerados. O clérigo mórmon é composto de membros da igreja que doam o seu tempo sem cobrar nada, na esperança de fortalecer a igreja que amam. Em vez de pagar os salários de membros do clérigo, o dízimo é usado para propósitos que beneficiam a comunidade mórmon em geral, em harmonia com a filosofia original da “Ordem Unida” do século XIX.

Freqüentar a Igreja

Deus mandou que Seus filhos se reunissem freqüentemente; congregações mórmons se reúnem uma vez por semana, no domingo. Freqüentar a igreja regularmente traz bênçãos que não são possíveis quando membros da igreja adoram só em casa. ()

  • O sacramento, uma ordenança sagrada chamada por algumas religiões de “a ceia do Senhor”, é administrado às congregações mórmons durante as reuniões semanais. O sacramento serve para renovar as promessas batismais; membros da igreja recebem a influência do espírito de Deus ao se comprometerem a lembrar do sacrifício de Cristo, tomar sobre si o Seu nome e guardar os Seus mandamentos. Renovar estas promessas sagradas com freqüência traz contínua força espiritual.
  • Já que a igreja SUD não tem um clérigo remunerado, membros da igreja voluntariamente aceitam várias responsabilidades eclesiásticas, ou “chamados”. Ao cumprir os seus chamados, mórmons servem tanto a Deus quanto aos irmãos. Este serviço traz força espiritual e ajuda-os a sentir que são uma parte, mesmo pequena, da grande obra de Deus nestes últimos dias. Ao servir a Deus e aos Seus filhos, nosso amor por eles aumenta de maneira que não seria possível se ficássemos em casa todo domingo.
  • Embora Deus certamente possa comunicar conosco diretamente, Ele freqüentemente escolhe ensinar-nos por meio de outros. Ao freqüentar a igreja regularmente, os mórmons beneficiam-se de introspecções, entendimento e sentimentos dos outros membros da igreja. Além disso, o senso de comunidade que é adquirido ao freqüentar regularmente a igreja muitas vezes ajuda os membros a manter a sua fé mesmo em tempos difíceis.
  • O corre-corre constante da vida moderna muitas vezes embaça as nossas mentes com as preocupações do mundo, fazendo com que percamos a nossa ênfase em Cristo e no Seu evangelho. Embora membros da igreja sejam incentivados a reservar tempo para orar e estudar as escrituras em casa, reuniões semanais da igreja também são cruciais para lembrar-nos daquilo que é realmente importante na vida.

Um grupo de mórmons conversandoAlguns fazem o erro de ver a igreja como se fosse um clube religioso social. Quando amizades chaves enfraquecem ou irritações sociais aparecem, eles deixam de freqüentar a igreja. Em vez de freqüentar a igreja por razões sociais, devemos freqüentá-la por causa de nosso desejo de adorar a Deus e de nos fortalecer espiritualmente. Independente de quão chato é fulano de tal–qual congregação de qualquer denominação não tem um membro chato ou outro?–Deus mandou que fôssemos membros ativos da igreja e nosso amor por Ele deve nos incentivar a obedecer este mandamento. No fim, o Senhor nos julgará baseado em nossa dedicação individual. Duvido que Ele aceite desculpas como aquelas em que procuramos culpar os hábitos irritantes dos outros ou o fim de uma amizade como uma explicação a nossa inatividade. Tendo dito isso, no entanto, saiba que os mórmons são conhecidos por ser um povo muito amigável. Embora quaisquer benefícios sociais que vêm de freqüentar a igreja devam ser secundários ao desejo de adorar a Deus, as amizades maravilhosas freqüentemente formadas entre os membros da igreja são tanto gratificantes quanto promovedoras de fé.


Os Mórmons se Opõem à Fornicação e ao Adultério

Os Mórmons valorizam a castidade
Os mórmons acreditam que relações íntimas antes do casamento, inclusive sexo (fornicação), toques, masturbação e pornografia, são contrários à vontade de Deus. Da mesma forma, ter relações íntimas com alguém além do cônjuge depois do casamento (adultério) é também considerado um pecado sério. Ao usar o nosso livre arbítrio–a nossa habilidade de escolher entre o certo e o errado–para escolher nos entregarmos somente àquela pessoa com quem estamos preparados a assumir um compromisso completo e marital, mostramos o nosso amor para com Deus e para com o nosso cônjuge (futuro). Gosto de pensar que este “compromisso com compromisso” faz os mórmons um povo particularmente romântico! ()
(Escrituras: Fornicação e Adultério)

Para proteger contra a imoralidade, a igreja SUD aconselha os seus membros a esperarem até completar 16 anos de idade antes de namorar, uma idade em que a maioria tem a maturidade de fazer decisões sábias. Encontros em grupo são preferidos durante os primeiros anos de namoro. Como jovens adultos, os mórmons começam a pensar em casamento e o namoro em casal se torna mais comum. Durante esta época de namoro em casal a tentação naturalmente aumenta; namorados mórmons recebem conselho de seus líderes eclesiásticos para fortalecer a sua dedicação de esperar até depois do casamento.

Como é o caso com quase todos os pecados, mórmons acreditam que pode arrepender-se de fornicação ou adultério graças ao sacrifício expiatório de Cristo. Membros da igreja que já fornicaram ou adulteraram, mas que já andaram o caminho muitas vezes árduo do arrependimento podem gozar de todos os benefícios de ser membro da igreja. Este princípio de arrependimento é particularmente importante para os que querem se converter ao mormonismo, muitos de quais nunca apreciaram a importância da castidade antes de terem encontrado a igreja e seus ensinamentos. Tais conversos também podem gozar de todas as bênçãos de ser membros da igreja.

27 Respostas para “Mandamentos Mórmons”


Deixe um Comentário





 
(Seu e-mail nunca será publicado)


letras restando