Mulheres Mórmons

Os mórmons oprimem as mulheres?

A sociedade de socorroMulheres pregam dos púlpitos SUD e servem como presidentes de organizações, professoras, cabeças de comitês, etc., mesmo no nível global de liderança. ()
(Acurado no ano 2006. Veja Ford Motor.)

A organização SUD de mulheres, chamada de a “Sociedade de Socorro”, teve início em 1842 e é a maior organização de mulheres no mundo.
(Acurado no ano 2006. Veja Ford Motor.)

A igreja também tem uma organização para as moças.

Em 1870, Utah foi o segundo estado dos Estados Unidos que estendeu às mulheres o direito de votar. Wyoming ganhou da gente, já que estendeu o direito dois meses antes.
(Acurado no ano 2006. Veja Ford Motor.)

Algumas mulheres mórmons altamente visíveis incluem… (Veja Famous Mormons.)

  • Ivy Baker Priest (1905-1975), que serviu “como a tesoureira dos Estados Unidos sob o presidente Eisenhower. Sua assinatura aparecia no dinheiro dos Estados Unidos de 1953 a 1961. Depois passou a servir como a tesoureira da Califórnia sob Ronald Reagan”.
  • Paula Hawkins, a primeira senadora federal dos Estados Unidos elegida do estado de Florida.
  • Dra. Martha Hughes Cannon, que foi a primeira senadora estadual na história dos Estados Unidos.


Os mórmons praticam poligamia?

Embora a poligamia mórmon seja um ponto histórico interessante, não é relevante ao mormonismo moderno. Faz mais que um século que os membros da igreja não praticam a poligamia, e todo membro da igreja com múltiplas esposas é excomungado. ()

  • Quando os mórmons praticaram a poligamia, era muito diferente que a poligamia praticada hoje por grupos dissidentes que deixaram a igreja SUD há anos, grupos que não são afiliados à igreja. Mesmo antes da igreja proibiu a poligamia, o número de adultos mórmons que pertenciam a famílias polígamas não passou 25% da população. (Veja o BBC.)
  • A poligamia não foi usada para oprimir as mulheres, como evidenciado por vários fatos históricos.
    • Muitas mulheres mórmons eram proeminentes em suas comunidades, mulheres tais como a Dra. Martha Hughes Cannon, cuja história é mencionada acima.
    • Em resposta a legislação anti-polígama proposta no senado, 3.000 mulheres mórmons protestaram publicamente na cidade de Salt Lake, mostrando a um país surpreendido que apoiavam a poligamia. (Veja The Story of the Latter-day Saints, pg. 352.)
    • Utah era o segundo estado nos Estados Unidos que deu às mulheres o direito de votar.
    • De fato, reconhecendo que a poligamia foi altamente apoiada pelas mulheres de Utah da época, o congresso dos Estados Unidos tirou delas o direito de votar 17 anos depois que o governo de Utah tinha reconhecido aquele direito, numa tentativa federal de combater a prática. (Veja The Story of the Latter-day Saints, pg. 352-353.)
  • Atualmente, mesmo nos países onde a poligamia é legal, todos os indivíduos que a praticam não podem ser membros da igreja.
  • Os inimigos da igreja gostam de mencionar esta prática para criticar-nos, mais raramente mencionam que alguns muçulmanos e hindus modernos, juntos com israelitas antigos, também a praticam/praticaram. Além disso, esta crítica direcionada aos mórmons é paradoxal porque a poligamia, embora historicamente interessante, não é relevante ao mormonismo moderno.
  • Tendo dito isso, sou grato pelo fato dos mórmons não praticarem a poligamia hoje em dia e que ela não tenha um papel na teologia mórmon moderna. Mal consigo lidar com minha única esposa!

19 Respostas para “Mulheres Mórmons e Poligamia”


Deixe um Comentário





 
(Seu e-mail nunca será publicado)


letras restando