Nova Evidência de DNA Apoia o Livro de Mórmon

por Jorge Prado -

Uma molécula de DNA

Uma molécula de DNA

Um estudo notável publicado este mês na prestigiada revista científica “Nature” tem fornecido evidência genética a favor do Livro de Mórmon. Primeiro um pouco de contexto:

O que as Pessoas Acreditavam?

Os cientistas acreditavam que todos os ancestrais dos povos ameríndios viajaram da Ásia Oriental às Américas por meio do Estreito de Bering. Estes cientistas geralmente rejeitaram a ideia de que alguns dos antepassados dos povos ameríndios viajaram do Oriente Médio. Quando encontrada, a evidência genética que os modernos povos ameríndios tinham DNA do Médio Oriente foi sempre ignorada, já que os cientistas automaticamente assumiam que este DNA foi derivado de pessoas que chegaram depois de Cristóvão Colombo (e.g., “contaminação”).

Os mórmons acreditam que vários grupos do Oriente Médio viajaram às Américas, além de povos asiáticos. O Livro de Mórmon descreve os Jareditas e os Leítas/Mulequitas, que viajaram ao Hemisfério Ocidental por volta de 3000 aC e 600 aC, respectivamente. De acordo com este argumento, não se encontra muita evidência genética destes grupos porque eram relativamente pequenos em comparação com as vastas populações de origem asiática já presentes.

Ameríndios da Colombia

One Response to “Nova Evidência de DNA Apoia o Livro de Mórmon”


Leave a Comment


letras restando



 
(Seu e-mail nunca será publicado)